O novo coronavírus (COVID-19) vem afetanto pessoas, famílias, empresas, e comunidades no mundo inteiro gerando consequências a todos. Além das mortes causadas por esse novo vírus, que é a pior parte, também há efeitos sobre a economia e nas mudanças, drásticas, que estão ocorrendo na rotina das pessoas.

Mudanças na forma como vivemos, como trabalhamos e até como interagimos com outras pessoas sendo conhecidos ou não. O isolamento social nos trouxe a uma realidade que não imaginávamos.

Obviamente a recomendação de quarentena é para reduzir a curva de contaminação do novo coronavírus e que realmente é efetiva para redução da propagação do vírus, porem como não estamos acostumados com esse estilo de vida sem alguns cuidados isso pode afetar nossa saúde mental. Antes mesmo da pandemia do novo coronavírus, o Brasil, de acordo com uma pesquisa de 2019 da OMS, era o país com mais pessoas sofrendo do transtorno de ansiedade no mundo.

É uma situação completamente nova para todos nós, não temos experiência para um momento como esse e isso está nos forçando a repensarmos nosso papel na sociedade. É fundamental que todos se adaptem ao momento e alterem seu modo de viver nesse momento para que possamos enfrentar essa crise da melhor forma possível. Não queremos acabar com um problema gerando outro.

 

  • O que é saúde mental?

 

Saúde mental é um termo usado para descrever o nível de qualidade de vida cognitiva ou emocional de uma pessoa. A saúde mental pode também incluir a capacidade de um indivíduo de apreciar a vida e procurar um equilíbrio entre as atividades e os esforços para atingir a resiliência psicológica. Porém, o conceito de saúde mental pode ser mais amplo que apenas “ausência de transtornos mentais”

No geral, podemos dizer que a saúde mental é o equilíbrio emocional entre seus sentimentos e as exigências e vivencias da vida, administrando sua vida e emoções em meio aos acontecimentos por qual o indivíduo passa sem perder seu valor. Lidando sempre com emoções positivas e negativas como, alegria e tristeza, coragem e medo, amor e ódio, serenidade e raiva, realizações e frustrações, e muitas outras, reconhecendo elas e seus limites. Não deixe de buscar ajuda quando necessário e sempre busque o desenvolvimento próprio.

 

  • Como a quarentena pode afetar a saúde mental?

A quarentena e o isolamento social estão muito ligados a saúde mental. De um momento para outro nos vimos tendo quer mudar drasticamente nossos hábitos e rotinas, e forçados a ficar dentro de casa tanto para lazer quanto para trabalho.

Durante esse isolamento social somos bombardeados todos os dias e horas por negatividades, como:

  • Preocupações com o bem-estar de familiares e amigos
  • Insegurança na sua posição na empresa (seja gestor ou colaborador)
  • As incertezas na economia do país
  • Receio sobre o futuro do país e do mundo

Os noticiários todos os dias exploram mais e mais o assunto com informações negativas e projeções incertas, aumentando nossa preocupação geral e afetando diretamente nossa saúde mental e produtividade.

Outro ponto que vem nos afetando é a falta do contato com o próximo. Nós brasileiros sempre fomos muito calorosos, sempre tentando contato com os próximos no trabalho, no encontro com a família ou com os amigos.

Tudo que estamos passando pode agravar ou trazer o surgimento de sintomas ou transtornos psicológicos. Temos que aprender a lidar com a situação a qual estamos vivenciando.

 

  • Como cuidar da saúde mental durante a quarentena?

 

Apesar do grave momento, este pode ser uma situação para reavaliarmos a importância de cuidar da mente. Ter um período para relaxar e se dedicar ao lazer são ações que podem fazer a diferença na sua qualidade de vida e que podem diminuir o estresse, o humor deprimido, a irritabilidade, a exaustão emocional, o nervosismo, o medo, a raiva e preocupação com a incerteza e tudo mais.

Veja algumas dicas para que sintomas psicológicos não se agravem ou para evitar efeitos negativos em função desse isolamento social:

 

  1. Mantenha uma rotina

É muito importante manter uma rotina diária, principalmente para as crianças e os mais jovens. A quarentena não é um período de férias, mas um momento essencial para evitar que uma situação se agrave. A falta de rotina pode atrapalhar o seu organismo, desregulando o sono, provocando cansaço, alterando o apetite e o estado de humor.

Estabeleça um horário para acordar e dormir, fazer atividades, trabalhar e ter suas refeições diárias de maneira a normalizar sua vida, mesmo dentro de casa.

 

  1. Cuidado com o excesso de informações 

O excesso de informações pode ser um “gatilho” para quem sofre de ansiedade ou para quem quer evitar o estresse. Os noticiários estão mais longos, as redes sociais estão mais ativas e por todo lado alguém quer falar sobre a pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Em um mundo tão digital como o nosso, é cada vez mais fácil absorver informações, mas é ideal que você controle o que recebe.

Durante a quarentena, evite ler informações todo o tempo sobre o que está acontecendo. Se for buscar notícias, procure de fontes oficiais e confiáveis como o Ministério da Saúde, a OMS ou hospitais de referência.

Escolha apenas um jornal televisivo no dia para acompanhar e oriente sua família quanto ao compartilhamento de notícias sobre o novo coronavírus, para que ninguém caia em fake news e acabe alardeando os demais sobre fatos que não ocorreram.

 

  1. Use a tecnologia para unir 

Estar isolado não significa ficar sozinho. Então, nada de afastar as pessoas neste período. Faça videochamadas com amigos e familiares, coloque o papo em dia e busque fazer atividades à distância, como jogar ou ver um filme.

 

  1. Faça o que você queria fazer

Tendo mais tempo livre, podemos nos dedicar aos projetos que desejávamos fazer, mas vinham sendo atrasados, por exemplo:

  • Aprender um novo idioma.
  • Aprender a tocar um instrumento musical.
  • Maratonar as suas séries e filmes favoritos.
  • Iniciar o planejamento da sua empresa própria.
  • Cozinhar novas receitas.
  • Montar um canal on-line nas redes sociais.

As possibilidades são muitas e vão além das dicas acima. Basta resgatar da memória aquilo que você desejava fazer, e planeje para acrescentar essa atividade ao dia a dia.

 

  1. Faça um curso online

Aproveite seu tempo extra para fazer cursos online e aprimorar suas habilidades. Você estará se desenvolvendo e aprendendo coisas novas, o que pode ser útil tanto na vida pessoal quando no trabalho.

Ao aprender algo novo você estimula suas atividades cerebrais, tem prazer pelo o que está fazendo e se sente mais útil em contribuir com a sociedade.

 

  1. Pratique exercícios

A prática física é muito importante para evitar problemas como a hipertensão, diabetes, obesidade e doenças cardiovasculares. Os exercícios também podem apresentar diversos benefícios para o cérebro, a melhora da circulação sanguínea cerebral, o aumento do processamento cognitivo e a sensação de bem-estar causada pelo aumento da serotonina e endorfinas é um desses benefícios.

Procure usar plataformas de vídeos como o YouTube para procurar rotinas de exercícios. Mesmo que você não tenha um ritual de treino no seu dia a dia, não é bom ficar parado. Comece a se movimentar com videoaulas de dança, ioga ou alongamento.

 

  1. Tenha uma alimentação saudável

Passar mais tempo em casa pode nos dar uma sensação de fome constante, mas é preciso não cair nessa armadilha. A alimentação irregular pode afetar nossa saúde física e mental.

Procure manter o horário das refeições e caprichar nos pratos ricos em nutrientes. Verduras e legumes são essenciais em toda alimentação e aproveite as frutas e castanhas para lanches da tarde.  Não esqueça de beber bastante líquido o dia todo.

 

  1. Se for necessário, faça terapia online

Graças a tecnologia, é possível entrar em contato com psicólogos para fazer terapia online. Se antes do isolamento social você já fazia sessões, converse com seu psicólogo sobre continuar o atendimento remoto para não interromper seu tratamento.

Caso você não fazia terapia, mas está sentindo níveis de ansiedade ou estresse muito altos, essa é uma boa hora para começar a se cuidar. Um profissional especializado pode te ajudar a lidar com pânico e medo. Portanto, não hesite em procurar ajuda. Mesmo que online.

 

  1. Pratique meditação

Diversos sites, aplicativos e mesmo em redes sociais existem pessoas qualificadas que ensinam e fazem sessões de meditação com os usuários. É a maneira mais prática e acessível para sentir na pele e na mente, os efeitos positivos da meditação.

Por alguns minutos no dia, você se dedica ao silêncio e à contemplação. A meditação pode ser algo que ajuda a espantar os pensamentos negativos e a ansiedade, entre outros fatores psicológicos.

 

  1. Exercite a sua empatia

Comece o dia com um pensamento positivo. Lembre-se, mesmo com as notícias ruins e toda essa situação, nós vamos atravessar e superar essa experiência tão inesperada, perigosa e impactante na vida de todos. Sairemos disso mais fortes.

Com esse positivismo você pode exercitar também a empatia. Ela é fundamental para que você aprenda a lidar melhor com os seus problemas, e use os seus esforços positivos para ajudar o próximo.