Independente da área e função de uma vaga disponível, o currículo profissional é o primeiro contato da organização, com seu RH, com o candidato e uma peça-chave para o candidato ter a oportunidade real de concorrer a vaga em aberto. É preciso saber analisar um currículo, nem sempre o mais bonito e com mais informações é o mais apropriado para a vaga disponível. As informações nele são o que a empresa irá inicialmente avaliar para conhecer o candidato.

 

Muitos profissionais estão investindo cada vez mais em marketing pessoal e desenvolvendo cada vez melhor seus currículos, cartas de apresentação e portifólio, analisando e estruturando o próprio material de acordo com a vaga e a empresa. Com isso o RH, durante o recrutamento e seleção, deve estar atento a todos os pontos dos currículos

 

  • O que não pode ficar fora do currículo?

Há 3 informações básicas que não pode faltar e também não pode estar incorretas de maneira nenhuma, são elas:

– Dados pessoais (nome, endereço e contato)

– Escolaridade

– Experiências profissionais

 

Passar essas informações erradas, podem prejudicar muito um currículo e ter a perda da oportunidade do candidato.

Tendo que lidar com diversos currículos, os profissionais de RH, analisam cada um deles e encontrando erros em uma carta de apresentação ou no próprio currículo pode ser o suficiente para caracterizar uma eliminação do candidato.

 

  • Qual o melhor currículo para a vaga?

 

Analisar e identificar talentos por meio de um currículo não é algo fácil e para isso a equipe de RH deve montar uma estratégia pensando qual perfil e tipo de candidato está procurando, quais os melhores atributos para a vaga e quanto de conhecimento necessário.

Diversas vezes esse planejamento e estratégia não é levado em conta e apenas é selecionado os candidatos com mais experiências possíveis ou com a maior escolaridade. Acaba que por muitas vezes o “melhor” currículo não se transforme na melhor opção para a vaga.

As mudanças no mercado de trabalho e os métodos de retenção de talentos devem ser identificados e acompanhados pela equipe de RH para que façam a melhor analise possível dos currículos.

 

  • Como analisar um currículo?

O recrutador que estiver fazendo a análise dos currículos deve adotar algumas normas para si, assim podendo fazer a melhor escolha de candidatos por meio da análise dos currículos. Veja algumas dicas para que essa análise seja feita.

 

  1. Definir o perfil desejado

Antes do início prático da análise dos currículos, a equipe de RH deve definir o perfil desejado do profissional para a vaga em questão. Defina o nível de escolaridade, experiência, conhecimentos em softwares, idiomas e o que mais for necessário para a vaga.

Isso facilita a triagem dos currículos, diminui o número de currículos para a análise e potencializa a análise.

 

  1. Estética do currículo

A primeira coisa a se observar no currículo é a apresentação dele e principalmente a organização das informações. O recomendado é que os currículos sejam simples e diretos, pois esse é apenas um breve resumo das experiências, conhecimento e habilidades do candidato.

Também nesse momento pode ser analisado a ortografia do candidato. Assim é possível identificar seus cuidados com a língua portuguesa e sua entrega de documentos.

 

  1. Experiências anteriores

Verifique as experiências anteriores do candidato, veja se estão em ordem cronológica e avalie a vida e desenvolvimento profissional do candidato.

Procure avaliar se houve progresso, dedicação a carreira e se há buracos na linha do tempo. Essas informações podem ser questionadas na entrevista com o candidato.

 

  1. Currículos com até 75% de adesão ao perfil ideal

Tente não escolher apenas perfis com requisitos idênticos ao perfil ideal definido. A triagem pode ser feita com 75% ou mais de adesão ao perfil ideal definido.

Os perfis que não são 100% aderentes ao perfil definido podem estar a abertos ao conhecimento de novas técnicas.

 

  1. Nível de idioma e conhecimentos em software

Sendo um nível específico em certo idioma ou um nível de conhecimento em um software específico obrigatório para a vaga, é possível o recrutador desenvolver algum tipo de teste com material para ser entregue no dia da entrevista ou um teste a ser realizado no momento da entrevista.

 

  1. Atividades e responsabilidades

Verifique os cargos anteriores dos candidatos, fique atento a nomenclatura dos cargos e, caso ele tenha colocado em seu currículo, as suas atividades exercidas e responsabilidades atendidas em suas funções anteriores.

Essa analise pode trazer maior conhecimento sobre as habilidades desse candidato.

 

 

  • Tipos de perfis de candidatos

Há vários tipos de perfis de candidatos que se pode identificar em um currículo. Vamos demonstrar 3 deles.

O primeiro e mais tradicional tem como características:

  • Cursaram faculdades renomadas
  • Boas recomendações
  • Estão no mercado de trabalho após estágios e outras experiências na área

Esse tipo de profissional geralmente é o mais desejado pelas organizações e o mais superestimado. Acabam sendo os destaques dos recrutamentos. De acordo com a função da vaga, esse perfil pode ser o mais indicado.

 

O segundo perfil tem como características:

  • Currículos mais simples
  • Faculdades com menos prestígios
  • Diversos empregos em diversas áreas e funções

Esse tipo de profissional a algum tempo atrás era facilmente descartado, porém muitas organizações sabem que esse perfil de profissional pode ter mais habilidade de lidar com adversidades que podem ocorrer dentro de uma organização ou determinada função. Eles são mais propensos a novos desafios.

 

O terceiro perfil tem como características:

  • Currículo menor
  • São mais jovens
  • Sem ou pouca experiência profissional

Esse perfil geralmente é de jovens sem grandes experiências. São ótimos para vagas de estágio ou onde a empresa quer dar uma nova energia a organização. Por eles estarem procurando por experiências profissionais, isso pode gerar uma grande energia neles.

 

 

Com uma equipe de RH que sabe fazer a análise de currículo de forma eficiente, evita o desperdício de tempo da própria equipe e até dos candidatos que não estão de acordo com a vaga ou que não são aptos para a mesma. Devemos considerar também que uma equipe com uma análise equivocada pode fazer com que a organização deixe de reter bons talentos e profissionais para a empresa.