Um grande problema para diversos estudantes é o fato de utilizar horas e mais horas e não conseguir armazenar as informações que foram absorvidas. Há momentos em que o estudante fica simplesmente frustrado com a situação. Porém as vezes o problema não é quantidade de horas estudadas e sim a qualidade de como foi estudado.

Ainda assim é um fator muito importante a dedicação do estudante, pois o material estudado não será facilmente armazenado em seu cérebro. Além da dedicação, há dicas para melhorar a qualidade dos estudos e técnicas de fixação de aprendizado que muito ajudam.

Antes de entrar nas dicas e técnicas de aprendizado vamos primeiramente entender o que é curva do esquecimento, para entender um pouco mais sobre nosso cérebro.

 

  • Curva do Esquecimento

Em 1885 o psicólogo alemão Hermann Ebbinghaus apresentou a teoria da Curva do Esquecimento que apresentava em um gráfico a quantidade de informações que o cérebro é capaz de armazenar ao longo de um determinado período. Ainda hoje, sua teoria é aceita no campo de estudos sobre a memória e aprendizado do cérebro.

Gráfico da Curva do Esquecimento

Todos temos, naturalmente, uma boa capacidade de memória; A diferença que uns tem essa capacidade mais trabalhadas do que outros, porém também temos a capacidade natural de esquecer grande parte da informação absorvida/memorizada ao decorrer do tempo e é exatamente isso que a teoria da Curva do Esquecimento diz.

Após estudar algum conteúdo, nosso cérebro absorve toda a informação e ela fica fresca em sua memória. Com o tempo a informação vai sendo perdida/esquecida e com 20 minutos após a informação ter sido memorizada seu cérebro retem apenas cerca de 42% do aprendizado. Após uma hora o cérebro já perdeu mais da metade do conhecimento absorvido. Com um mês sem revisar o conteúdo, apenas menos de 10% do conteúdo continua no cérebro.

Nosso cérebro não pode manter toda informação aprendida armazenada, isso faria ele sobrecarregar e para evitar exatamente isso ele vai descartando as informações consideradas “desnecessárias” ao longo dos dias.

Infelizmente a Curva do Esquecimento é algo natural do funcionamento do cérebro e não pode ser impedida, mas também não quer dizer que o estudante deve simplesmente aceitar esse fato. A maneiras de minimizar seus efeitos com técnicas de estudo que ajudam a trabalhar a memória e melhorando a fixação do aprendizado no cérebro.

 

  • 5 Técnicas para fixação de aprendizado

Essas técnicas são eficientes ferramentas para ajudar o estudante a reduzir o esquecimento de conteúdo aprendido.

 

  1. Resumos

Fazer resumos do conteúdo aprendido é considerado a melhor forma de reduzir a curva de esquecimento. Fazendo um resumo do material aprendido você obriga o cérebro a processar a informação absorvida para criar um material simplificado da informação.

Para essa técnica ser eficiente o resumo deve ser feito com o que você realmente entendeu e esse resumo deve ser realmente um resumo, de preferência de uma página no máximo, não adianta copiar trechos de onde foi feito o estudo.

Os resumos devem ser revisados para melhorar a fixação do conteúdo e com resumos pequenos para, exatamente, ajudar isso.

Vale lembrar que os mapas mentais também contam como resumo e ajudam demais na memorização de conteúdo. Mapas mentais são resumos em forma de diagramas onde informações e desenhos são ligados ao tema central.

 

  1. Revisão

Para ter maior probabilidade de memorizar o que foi estudado. A primeira leitura feita pode ser considerada uma forma de introdução ao material e nas próximas leituras que você começará a fixar as informações.

Como dito acima, pode ser feita também a revisão dos resumos feitos do material aprendido que é melhor do que reler um material completo.

 

  1. Simulados

Fazendo simulados você testa seu cérebro para poder fixar o conteúdo. Enquanto estuda, faça pequenos exercícios ou testes no meio do aprendizado, fazendo esses exercícios em meio aos estudos, vai mostrar ao cérebro que você está usando aquela informação e que precisará dela, fazendo-a ser mais fácil de ser lembrada.

 

  1. Auto Explicação

Na auto explicação você irá fazer isso mesmo, fale em voz alta para você mesmo o que entendeu do material estudado como se estivesse explicando para outra pessoa. Lembre-se que você não deve ler e sim explicar o que você absorveu do aprendizado.

Essa técnica tira o cérebro da mesmice de apenas leitura e faz ele processar o que tem aprendido.

 

  1. Acrônimos

Acrônimos são siglas que você inventa para facilitar a recordação sobre algo. Usando, geralmente, as iniciais das palavras relacionadas ao tópico para poder lembrar de forma mais rápida o conteúdo estudado.

 

  • Dicas para melhorar a qualidade de estudo.

Apesar das técnicas anteriores ajudarem na fixação do conteúdo, nada vai adiantar se você não tiver um local ou momento para poder estudar, sendo assim, mesmo usando as técnicas anteriores você não vai fixar da maneira correta o aprendizado.

Qualquer tipo de distração poderá ter um grande efeito negativo sobre seu aprendizado, pois nada será fixado. O momento e ambiente ideal é extremamente importante para o desenvolvimento do aprendizado. As dicas para melhorar a qualidade do seu estudo são:

 

  1. Ambiente

O ambiente a nossa volta sempre vai exercer influência sobre nosso comportamento e para estudar isso não é diferente. Procure o ambiente ideal e esse ambiente deve ser bem iluminado (de preferência com luz solar, se possível), local com menos ruído possível (também pode ser usado protetores auriculares ou até um fone para poder abafar o som), limpo e organizado, já que a sujeira e a bagunça podem nos distrair sem que notemos.

Outra coisa muito importante é lembrar que o local de escudo deverá ser em uma mesa e uma cadeira, nada de estudar na cama ou no sofá.

Passamos grande parte da vida estudando assim (colégio, escola, curso, faculdade…) e nosso cérebro está acostumado a isso, nos mantendo mais concentrado nesses momentos. Isso vale para quando estamos em uma cama ou sofá, nesses locais o cérebro entende como local para relaxar e nos deixa menos concentrados.

 

  1. Rotina

Manter uma rotina para os estudos irá condicionar corpo e mente a ficarem mais concentrados naquele momento, pois o cérebro saberá que aquele momento é para estudar.

Um plano de estudo vai ajudar a criar essa rotina de estudos para, além de organizar o que será e precisa ser estudado, manter o cérebro concentrado no aprendizado no horário que está determinado para a rotina de estudos.

 

  1. Não seja seu vilão

Nada adianta você tentar estudar sem ter disposição para isso. Devemos nos incentivar, criar objetivos e nos motivar para realmente absorver o aprendizado.

Esvazie o cérebro, evite pensamentos negativos, não pense que estudar é chato, desligue o celular ou qualquer outro objeto que possa tirar a atenção. Pense que todo esse estudo é algo importante para si, que isso pode fazer a diferença para alcançar seus sonhos e tenha pensamento positivo.

Você sempre poderá ser seu maior vilão, então lute contra isso.

 

  1. Corpo preparado

O corpo também pode fazer uma grande diferença na hora dos estudos. Sua saúde é muito importante para sua qualidade de vida e de estudo também. Quando seu corpo está com algum problema, o cérebro se preocupará primeiro com sua melhora e depois com seus estudos.

Mantenha a postura correta, já que muito conforto ou desleixo poderá se tornar um convite para o cérebro relaxar e a postura incorreta poderá fazer você sentir dores e incômodos que acabarão com a concentração.

Os exercícios físicos também podem ajudar no desenvolvimento dos estudos, como já foi citado anteriormente nesse blog, durante atividades físicas, o corpo naturalmente produz mais serotonina e endorfina, neurotransmissores relacionados à sensação de bem-estar e que ajudam a reduzir o estresse e a ansiedade, que ajuda a memória e melhora a capacidade de raciocínio rápido.

Essas dicas e técnicas podem te ajudar muito a melhorar seus estudos e tirar o máximo desses momentos de aprendizado.