Com o surto do novo coronavírus (COVID-19), empresas do mundo todo estão sendo obrigadas a agir de forma urgente. Esse novo vírus obrigou as empresas a terem uma nova abordagem de gestão de crise, diferente de qualquer outra já vista. As formas que se imaginavam para que fosse possível lidar com uma crise não são suficientes e os gestores precisam saber que é necessário agir agora, mas com inteligência.

O novo coronavírus apresenta uma alta taxa de transmissão e grandes riscos para pessoas acima dos 60 anos e ainda diabéticos, hipertensos e quem tem insuficiência cardíaca, renal ou doença respiratória crônica também entram no grupo de risco desse vírus, com isso, medidas de contenção e prevenção urgentes precisam ser aplicadas.

As medidas tomadas pelos governos e pelas empresas entendem os impactos da pandemia sobre tudo que está acontecendo. Pelo mundo, todos estão agindo rápido e com cautela. Diversos países estão com as fronteiras fechadas para a entrada de estrangeiros e restrições rigorosas de circulação de pessoas. Bolsas de valores pelo globo apresentaram grandes quedas desde o início do surto do novo coronavírus (COVID-19).

Várias empresas pelo mundo adotaram o trabalho home office durante esse surto do novo coronavírus, com isso podendo alavancar essa metodologia de trabalho remoto no futuro, e elas vem tomando as atitudes necessárias para que possam continuar suas atividades de forma segura para seus colaboradores mantendo a eficiência e qualidade de seus produtos e serviços.

 

  • O que é gestão de crise?

Gestão de crise é um processo de inteligência administrativa que estuda o potencial impacto de um risco para a instituição. Os estudos criados pelas lideranças avaliam riscos de diversas naturezas, tais como imagem, marca, situação financeira, estrutura organizacional, clima, comunicação falha, entre outros.

O processo constitui no desenvolvimento de manuais de conduta diante da possibilidade de uma crise se instaurar ou impactar na organização, por isso são considerados questões como:

  • procedimentos que deverão ser adotados;

  • responsáveis por cada medida emergencial;

  • prioridades organizacionais;

  • formas de investimento e aplicação de recursos;

  • tempo de resposta ao problema;

  • tempo de resposta com o público;

  • antecipação de situações comprometedoras;

  • medidas de preservação de imagem;

  • formas de fortalecer a cultura organizacional.

A gestão de crise organiza a empresa para reagir as situações da forma mais segura e eficiente possível.

 

  • Comunicação da organização na gestão de crise

A gestão de crise é um processo que abrange todas as áreas de uma organização, gestores, supervisores, departamento de recursos humanos, departamento de comunicação e marketing e também colaboradores. Sendo uma situação que afeta todo o ambiente corporativo, é importante que qualquer decisão esteja alinhada e seja repassada de forma correta a todos.

Digamos que haja um problema contratual com os colaboradores durante a pandemia, isso pode afetar a imagem da sua empresa. Nessa situação é importante ser o mais transparente possível com os colaboradores e com a imprensa. Divulgar uma nota oficial, com uma mensagem clara explicando quais vão ser os próximos passos da organização para contornar o ocorrido, pode auxiliar na situação. Ter uma assessoria de imprensa ou um profissional dentro da empresa que saiba trabalhar com isso é importante.

A comunicação empresarial desempenha um papel fundamental. É claro que talvez em um primeiro momento, a organização não tenha todas as respostas, porém é de extrema importância tomar um posicionamento perante a crise. Isso ajuda para que o problema não ganhe proporções maiores.

 

  • Posicionamento dos gestores e líderes na gestão de crise

Saber o que é gestão de crise não é suficiente, um bom líder deve estar preparado para responder e sanar qualquer dúvida que aparecer. Em algum momento será necessário que eles tomem atitudes em favor da organização.

É desejável que a organização sempre tenha um perfil, uma autoridade, um responsável, alguém com credibilidade e com uma visão ampla sobre o que está ocorrendo e que está prejudicando a companhia.

Este pode ser um grande diferencial num momento delicado como o de uma crise que afete o ambiente corporativo.

 

  • 5 Dicas sobre o processo de gestão de crise

 

  1. Monitore tudo

É preciso estar atento a qualquer mudança de mercado que possa impactar no seu negócio, direta ou indiretamente. A chance do resultado positivo da gestão de crise é saber o que fazer, como fazer, porquê fazer e quando fazer.

 

  • Monitore o ambiente externo

Gestão de crise não envolve apenas seus processos, mas sim tudo que possa atingir o seu mercado. Por isso, analise diariamente todas as métricas que puder. Também veja o que a concorrência está fazendo. Adote novas posturas.

Quanto está o dólar hoje? E as bolsas de valores? Quais os setores mais afetados? Seus clientes fazem parte desses setores mais afetados? Questione-se!

Verifique a veracidade das informações, analise e aplique em seu negócio.

 

  • Monitore também o ambiente interno

Além de acompanhar o mercado externo, olhe para dentro. Acompanhe todos os comportamentos dos usuários em seus canais de comunicação, verifique o seu índice de procura em meio a esse momento.

Alguns fatores que sua empresa pode acompanhar:

  • Processos e atividades;

  • Custos;

  • Objetivos e Resultados dos seus colaboradores;

  • Metas;

  • Avalie possíveis reduções de mensalidades ou isenções.

 

  1. Planeje de acordo com os cenários negativos

Esse momento exige planejamentos estruturados para reduzir perdas. Todos vamos ser impactados, você queira ou não. Faça uma projeção dos próximos meses com receita reduzida e trabalhe em ações focadas para diminuir quedas muito representativas.

Todos estão preocupados e com medo. Existe uma alta possibilidade de interrupções de receita e mudança de comportamento dos clientes. A recuperação pode não ser rápida, mas com a gestão estruturada é possível visualizar as próximas decisões a serem tomadas.

Esse é o momento de entender seus possíveis próximos cenários, mas não esqueça, planeje ações externas e internas.

 

  1. Comunicação

Como já foi citado aqui, a comunicação é um ponto de extrema importância, mas não confunda comunicação com reuniões gigantescas. Porem comunicação também não é só conversar. Envolve processos, diretrizes, caminhos, metas bem definidas e outras observações.

Você precisa entender a imensa necessidade em estar próximo da sua equipe o máximo que conseguir. Explique os desafios que a empresa está enfrentando e a importância que o trabalho disciplinado de cada um tem. Seja transparente.
Clareza e objetividade nas informações são essenciais para o bom entendimento de todos, esclareça as dúvidas de seus colaboradores.

  1. Faça gestão e avaliação de desempenho

Na atual situação em que estamos, sabemos que a grande maioria das empresas adotaram como método de prevenção o trabalho remoto. Essa situação pode gerar dúvidas de como acompanhar o desenvolvimento das atividades deles e sua produtividade.

Solicite um relatório de atividades ou resultados de seus colaboradores. Reveja suas metas para que fiquem de acordo com a situação atual e analise se eles irão atingi-las.

  1. Gestão contínua de desempenho pode te ajudar

Em um momento onde os resultados ainda estão incertos, talvez o foco seja garantir que as competências e comportamentos sejam reforçados nas pessoas e posteriormente avaliados. Desde que estejam de acordo com o momento que a empresa necessita.

Faça essa análise, no que será avaliado e os resultados esperados não só quantificáveis, de metas, mas sim de comportamentos e competências que devem ser apresentadas nesse momento.

As pessoas precisam estar cientes que devem se esforçar nesse sentido. Porque o propósito de gerir e avaliar desempenho em um momento de crise não pode ser punitivo, e sim construtivo.

Durante um momento de crise todos esses processos devem ser contínuos! O que significa que você deve estar constantemente aplicando e reavaliando esses processos.

Porque com a crise, as mudanças do mercado e dos clientes, são mais rápidas e imprevisíveis. O que significa que seu processo de gestão deve ser contínuo em tempos de crise. O gestor deve estar atento e pronto para uma nova análise de processo.