Estar sentindo um cansaço excessivo e estresse prolongado no trabalho pode ser mais do que você acha. Isso pode ser sinal de Síndrome de Burnout, conhecido também como Síndrome do Esgotamento Profissional. Esse transtorno está cada vez mais comum e é caracterizado por um estresse devastador e é relacionado sempre com a vida profissional da pessoa afetada.

 

  • O que é Síndrome de Burnout?

A Síndrome de Burnout, ou Síndrome do Esgotamento Profissional, é um transtorno emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico que são resultado de situações profissionais desgastantes, em que demandam muita competitividade ou responsabilidade.

O principal fato causador dessa doença é o excesso de trabalho, mas também pode aparecer em profissionais que planejam ou são selecionados para objetivos profissionais muito difíceis em que acaba pelo profissional duvidar das capacidades de conseguir concluir esses objetivos.

Essa doença pode causar um estado profundo de depressão e considerando isso, é essencial que seja procurado apoio de profissionais corretos em caso de sintomas.

Esse transtorno foi mencionado pela primeira vez em 1974 pelo psicólogo Herbert J Freudenberger, descrevendo o que ele e seus colegas profissionais estavam sentindo, após isso vários estudos sobre a doença foram realizados.

 

  • Principais sintomas da Síndrome de Burnout

A Síndrome de Burnout envolve nervosismo, sofrimentos psicológicos e problemas físicos, como dor de barriga, cansaço excessivo e tonturas.

O estresse e a falta de vontade de sair da cama ou de casa, quando constantes, podem indicar o início da doença.

Entre os principais sintomas e sinais desse transtorno são:

  • Cansaço excessivo, físico e mental.

  • Dor de cabeça frequente.

  • Alterações no apetite.

  • Insônia.

  • Dificuldades de concentração.

  • Sentimentos de fracasso e insegurança.

  • Negatividade constante.

  • Sentimentos de derrota e desesperança.

  • Sentimentos de incompetência.

  • Alterações repentinas de humor.

  • Isolamento.

  • Fadiga.

  • Pressão alta.

  • Dores musculares.

  • Problemas gastrointestinais.

  • Alteração nos batimentos cardíacos.

Geralmente esses sintomas e sinais aparecem inicialmente de forma leve e por isso muitas pessoas acreditam ser algo passageiro, mas com o passar do tempo eles tendem a piorar.

É aconselhável buscar apoio profissional, assim que notar qualquer sinal, para evitar complicações mais sérias.

 

  • O que causa a Síndrome de Burnout?

Esse distúrbio ocorre quando o trabalho gera estresse excessivo, ansiedade e nervosismo intenso. A pessoa acaba chegando ao seu limite físico e/ou emocional, fazendo o indivíduo sentir cansaço extremo, desmotivado e esgotado.

Vale ressaltar que essa doença não está relacionada apenas ao ambiente de trabalho, há situações em que na faculdade ou até mesmo nas responsabilidades de casa podem ocasionar esse tipo de problema.

A Síndrome de Burnout está relacionado com esforço físico excessivo, mental e emocional que são seguidos de poucos momentos de descanso e descontração. Tudo que sugue muita energia ou o ocupe muito do tempo do dia pode ser motivador para a Síndrome de Burnout.

É comum que pessoas com a Síndrome de Burnout sofram também de depressão, uso excessivo de medicamentos e insônia.

 

  • Profissões mais afetadas pela Síndrome de Burnout

Esse transtorno é comum em pessoas viciadas em trabalho. Há também profissionais, que por causa de suas funções, acabam por ser mais suscetíveis a essa síndrome, em função das características da função, como:

  • Profissionais da saúde em geral, principalmente médicos e enfermeiros.

  • Jornalistas.

  • Advogados.

  • Professores.

  • Psicólogos.

  • Policiais.

  • Bombeiros.

  • Carcereiros.

  • Oficiais de justiça.

  • Assistentes sociais.

  • Atendentes de telemarketing.

  • Bancários.

  • Executivos.

Esses profissionais es esforçam muito em seus trabalhos e acabam por esquecer de momentos de relaxamento e descontração. Na cabeça deles, eles estão sempre alertas e isso não permite que descansem, fazendo se sentirem sempre exaustas.

Há também as funções que exigem demais do profissional, isso as transformam em exageradamente perfeccionistas. A cobrança exacerbada de si mesmo, e pelos superiores, acaba impactando de forma negativa na vida pessoal e profissional.

 

  • Como diagnosticar a Síndrome de Burnout?

Após análise clínica do paciente, um profissional especialista fará o diagnóstico da Síndrome de Burnout. Os profissionais indicados para avaliar o problema e indicar a melhor forma de tratamento são os psiquiatras e psicólogos.

Muitas pessoas não buscam ajuda médica ou negligenciam o que está sentindo por achar que seja algo menor e não percebem que possa ser algo sério. A Síndrome de Burnout acaba sendo confundida, muitas vezes, com outros problemas emocionais, isso porque os seus sintomas também estão presentes em outras transtornos mentais e emocionais

No Sistema Único de Saúde (SUS), a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) está apta a oferecer, de forma integral e gratuita, todo tratamento, desde o diagnóstico até o tratamento medicamentoso.

 

  • Tratamento da Síndrome de Burnout

O tratamento para a Síndrome de Burnout é feita basicamente de psicoterapia e, em certos casos, com medicamentos como antidepressivos e/ou ansiolíticos.

Normalmente o tratamento surte efeito entre um e três meses, porém pode variar, inclusive ultrapassar, esse tempo.

Após o diagnóstico de um profissional especialista, é altamente recomendado que o indivíduo diagnosticado tire férias do trabalho e faça atividades de lazer com amigos e familiares.

Em caso de não ter a possibilidade de tirar férias, será importante mudanças nas condições de trabalho, nos hábitos alimentares e no estilo de vida. Adicionar uma rotina de atividades físicas ou exercícios de relaxamento, para aliviar o estresse e controlar sintomas da doença.

 

  • Prevenindo a Síndrome de Burnout

Atividades e rotinas para diminuir o estresse e a pressão no trabalho são as melhores formas de prevenis a Síndrome de Burnout.

Rotinas saudáveis podem não só evitar o desenvolvimento da doença como também tratar sinais e sintomas desse transtorno.

As principais formas de prevenir a Síndrome de Burnout são:

  • Ter um descanso adequado, principalmente com uma boa noite de sono (pelo menos 8 horas diárias)

  • Defina pequenos objetivos na vida profissional e pessoal.

  • Participe de atividades de lazer com amigos e familiares.

  • Faça atividades que “fujam” à rotina diária, como passear, comer em restaurante ou ir ao cinema.

  • Evite o contato com pessoas “negativas”, especialmente aquelas que reclamam do trabalho ou dos outros.

  • Converse com alguém de confiança sobre o que se está sentindo.

  • Faça atividades físicas regulares. Pode ser academia, caminhada, corrida, bicicleta, remo, natação etc.

  • Evite consumo de bebidas alcoólicas, tabaco ou outras drogas, porque só vai piorar a confusão mental.

  • Não se automedique nem tome remédios sem prescrição médica.

 

É fundamental manter o equilíbrio entre o trabalho, lazer, família, vida social e atividades físicas para ter uma vida saudável.